Info Útil

App

Encontra todas as informações sobre o cartaz, horários, agenda os teus favoritos e recebe alertas dos teus concertos preferidos.

CAMPISMO

O espaço de campismo, gratuito para os portadores do passe de 3 dias, é o mesmo das edições anteriores, debaixo da magnífica sombra dos pinheiros mansos da Herdade do Cabeço da Flauta. Abre na 4ª feira, dia 17 de julho às 10h, dia em que o recinto irá já receber os portadores do passe de 3 dias para um Warm-up assinado pela Discotexas, e fecha no domingo dia 21 às 8 da noite.

Para quem privilegia o maior conforto, são várias as opções para acampar no Festival, desde o glamping ao Camping com Carro para quem quiser montar a tenda junto ao seu carro, ou o campismo Exclusive para quem adquirir o passe Total Exclusive.

• AUTOCARROS GRATUITOS PARA A PRAIA DO MECO
A organização assegura autocarros gratuitos para a Praia do Meco nos dias 18, 19 e 20 de julho, entre as 9h00 e as 19h00, reforçados pelas boleias da Toyota.

• NÃO É PERMITIDA A ENTRADA NO CAMPISMO DE:
Vidro (garrafas, embalagens de comida, etc)
Fogareiros que não do tipo Camping Gaz
Armas ou objectos que possam servir como arma
Animais domésticos (exceto cães-guia para invisuais)

• É PERMITIDA A ENTRADA NO CAMPISMO DE:
Comida (exceto em embalagens de vidro)
Camping Gaz ou equipamentos equivalentes*
Cadeiras e/ou mesas

* A utilização de Camping Gaz ou equipamentos equivalentes deverá ser feita junto às estradas do campismo, ou na área reservada para o efeito, de modo a garantir a segurança de todos.

Proibida a entrada de quaisquer materiais considerados perigosos.

O desrespeito POR ESTAS REGRAS confere à organização o direito à expulsão do evento, sem reembolso de qualquer montante, retirando-se a pulseira no caso dos portadores de passe PARA TODOS OS DIAS DO FESTIVAL.

Recinto

O local onde estará instalado o recinto de concertos é um terreno diferente daquele que o público já conhece das edições anteriores, e onde existe um tapete de vegetação tratado para assegurar um piso verde natural, onde estarão instalados os vários palcos do Super Bock Super Rock.

Para que todos possam desfrutar na 25ª edição do Super Bock Super Rock, a segurança é essencial. Serão efectuadas revistas à entrada pelas autoridades competentes, pelo que se aconselha que se chegue o mais cedo possível ao recinto – as portas abrem às 15h – e pede-se a melhor colaboração de todos, seguindo rigorosamente as indicações das autoridades e evitando levar mochilas e sacos volumosos que possam atrasar a revista.


• NÃO SÃO PERMITIDOS NO RECINTO:

Bebidas e comida
Garrafas, latas e copos de vidro e plástico
Máquinas fotográficas e de filmar profissionais, não acreditadas (objetiva amovível)
Material explosivo e pirotécnico
Animais de estimação (exceto cães-guia para invisuais)
Capacetes
Armas ou objetos que possam servir como arma
Selfie sticks ou semelhantes
Perfumes e vernizes
Lanternas e lazers
Guarda-chuvas

Proibida a entrada de quaisquer materiais considerados perigosos.

O desrespeito POR ESTAS REGRAS confere à organização o direito à expulsão do evento, sem reembolso de qualquer montante, retirando-se a pulseira no caso dos portadores de passe PARA TODOS OS DIAS DO FESTIVAL.

Plano de Suporte Ambiental

No ano em que o Super Bock Super Rock tem a sua 25ª edição, na qual regressa ao Meco, a Música no Coração decidiu desenvolver uma abordagem global para o Festival, numa visão de médio prazo, tendo em conta os factores de responsabilidade ambiental associados à utilização de um espaço natural único.

Nesta reflexão, tornou-se clara a mais-valia de criar um Plano de Suporte Ambiental / SBSR, de modo a dotar a gestão do evento de uma ferramenta abrangente capaz, a este propósito, de assegurar um desempenho eficaz na sua relação com o espaço onde o Festival se realizará e as suas componentes. Para tal contou com a parceria da FAHR em colaboração profissional e especializada com a Arquitecta paisagista Alexandra Cabral. Especialista em avaliação da paisagem, avaliação ambiental de projetos e planos, e planeamento e ordenamento do território, entre as diversas atividades e colaborações neste âmbito, destaca-se atualmente a assessoria da Direção de Serviços do Ambiente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte.

Esta decisão teve como mote a frase que Ban Ki-Moon proferiu em Davos, em 2016:
“Este ano terá que ser o momento para tornar as promessas globais em realidade. Os Governos têm que liderar, dando passos decisivos. Simultaneamente, os negócios e as empresas podem providenciar soluções e recursos que contribuam para colocar o Mundo num padrão mais sustentável.”

O Plano de Suporte Ambiental / SBSR teve em linha de conta todas as etapas de estruturação do Festival, desde a conceptualização dos espaços, gestão de recursos, ou sensibilização ambiental, até à monitorização dos resultados, que serão recolhidos junto dos atores significativos do Festival. A estrutura assim definida permite promover a articulação entre as entidades com jurisdição na área do Festival, o alinhamento dos patrocinadores e parceiros, a orientação de todo o staff envolvido na montagem e acompanhamento do Festival, e a ligação com a comunidade local.

Em termos de cronograma, o Plano de suporte Ambiental / SBSR assume-se como um processo, tendo o seu momento inicial na edição de 2019, e foco na melhoria de edição em edição, fator para o qual contribuirá grandemente a interação prevista entre todos os intervenientes, incluindo o público do Festival.

A avaliação do desempenho do Plano de Suporte Ambiental será efetuada até ao final de novembro de 2019, para que seja preparado o plano a adotar em 2020.


• Sanitários secos de compostagem, semelhantes aos utilizados em Festivais internacionais de grande dimensão como Glastonbury, foram os selecionados para o recinto do Super Bock Super Rock
Um dos melhores exemplos do compromisso da organização com as questões da sustentabilidade é a utilização já nesta edição, de sanitários secos de compostagem no recinto do Festival e que servirá de teste para futuras edições. Eliminando o uso de químicos e de água, serão uma novidade pouco habitual encontrar-se em eventos de grande dimensão em Portugal. Trata-se de um sistema integrado para uma gestão sustentável de resíduos sanitários em eventos e espetáculos.

Desenvolvido em 2012 para o mercado australiano, conheceu constantes melhoramentos e uma rápida internacionalização para o mercado europeu, contando com centenas de eventos no currículo, entre os quais festivais de referência como o de Glastonbury.

Uma alternativa agradável e ecológica aos ambientalmente mais agressivos sanitários químicos, uma vez que diminui drasticamente os maus odores, elimina o uso de químicos fortes e de água e tem mais espaço e arejamento, e permite uma logística eficiente – mais de 60% de redução de necessidades de transporte, reduzindo as emissões. Para além disso, o sistema integrado garante a transformação dos resíduos sólidos em fertilizantes para uso em explorações agrícolas.



Em simultâneo, outro dos grandes objetivos é consolidar a rede de entidades envolvidas, estando já assegurada a articulação entre diversas organizações, como é o caso da Câmara Municipal de Sesimbra e da Amarsul, do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, da Quercus e da Sociedade Ponto Verde:

• QUERCUS
A Quercus associa-se ao Super Bock Super Rock consciente de que é necessário minimizar os impactos ambientais associados aos grandes festivais de Verão. Em parceria com a Música no Coração, no ano que marca o regresso do Festival ao Meco, estabeleceu-se um plano de sensibilização ambiental com propostas inovadoras e transversais a todo o evento, pretendendo-se analisar e atuar em áreas como a produção de resíduos, o consumo de energia, a mobilidade sustentável e os efeitos na fauna e flora locais. A Quercus irá assim acompanhar e monitorizar o Super Bock Super Rock avaliando os comportamentos dos festivaleiros face às suas práticas ambientais, nomeadamente no que respeita à produção de resíduos, triagem dos mesmos e encaminhamento para os locais adequados, bem como sensibilizar os campistas para a correta separação e encaminhamento dos resíduos ali produzidos, por forma a evitar acumulações e abandonos dos mesmos, em particular dos plásticos, nesta zona do recinto. Após o decorrer do Festival, a Quercus irá identificar os pontos positivos e aqueles que devem ser melhorados na próxima edição do Festival.




• INSTITUTO DA CONSERVAÇÃO DA NATUREZA E DAS FLORESTAS
O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I. P. (ICNF) marcará presença no Festival Super Bock Super Rock, sob o mote da Sustentabilidade. No seu espaço aberto a todos, o ICNF, através de materiais e de informações prestadas no local, divulgará a importância da defesa da floresta contra incêndios, bem como das áreas protegidas do continente e da marca Natural.PT a elas associada, dando a conhecer as empresas aderentes que nelas desenvolvem serviços e produtos.

Porque uma floresta saudável e bem gerida é essencial à biodiversidade, estará disponível material informativo sobre a prevenção de fogos rurais, para que o meio florestal continue a ser fonte de vida e de desenvolvimento económico. Fazendo uso de um quizz, será divulgada a campanha ECONTIGO ECOMTODOS para que se descubra o seu “lugar na floresta” e contribua para evitar os incêndios.

Estando o Meco próximo da Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Costa da Caparica, do Sítio da Rede Natura “Fernão Ferro / Lagoa de Albufeira” e do Parque Natural da Arrábida, o ICNF estará à disposição para dar informações sobre estes e outros locais classificados.

O ICNF, I. P. e a marca Natural.PT:
O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I. P., é a autoridade nacional, quer para a conservação da natureza e biodiversidade, quer para as florestas, tendo por missão propor e executar políticas integradas de ordenamento e gestão do território, em articulação com entidades públicas e privadas, nos domínios da conservação da natureza, da biodiversidade, das florestas e competitividade das fileiras florestais, e assegurar a coordenação da prevenção estrutural e gestão dos fogos rurais.


• SOCIEDADE PONTO VERDE
Incentivar a separação de resíduos para reciclagem e ativar as boas práticas ambientais é o objetivo da Sociedade Ponto Verde, que volta a marcar presença em mais uma edição do Super Bock Super Rock, o Festival de música que tem a natureza como palco principal. Quer no recinto principal quer na área destinada aos milhares de campistas que por aqueles dias vão rumar ao Meco, a Sociedade Ponto Verde tem preparadas diversas ativações e surpresas, além das dezenas de pontos de recolha seletiva que poderão ser encontrados no evento.

No recinto de espetáculos, entre 18 e 20 de julho, podem ser encontrados os já reconhecidos “mochileiros SPV” que, além de transportarem consigo ecopontos móveis em formato mochila, podem esclarecer dúvidas sobre as corretas regras de separação de embalagens. Ainda na “instagramável” tenda da Sociedade Ponto Verde – num ambiente que alude à natureza e à música, colorido com azul, verde e amarelo, as icónicas cores dos ecopontos – os festivaleiros serão desafiados a mostrar o que sabem sobre o tema.

Já na zona de camping, a Sociedade Ponto Verde terá instalada a sua “ilha ecológica”, com factos e números sobre reciclagem, e com ecopontos para que os campistas possam colocar as embalagens que separaram. Para todos os campistas a Sociedade Ponto Verde preparou um kit especial, com alguns essenciais para os dias de acampamento: um saco de pano reutilizável, sacos de reciclagem e um rolo de papel higiénico reciclado, com uma mensagem que concretiza no que é que se materializa o gesto de separação das embalagens usadas para reciclagem.


AMARSUL
O 25º Super Bock Super Rock será um Ecoevento Amarsul. O programa “Ecoeventos” é um projeto cofinanciado pelo POSEUR (Programa Operacional para a Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos) e consiste na intervenção de equipas especializadas de sensibilização com vista ao aumento da reciclagem nos eventos, e inclui o fornecimento de suportes para sacos e estruturas de recolha de resíduos valorizáveis.

Com o apoio da Amarsul e do Município de Sesimbra, será implementado um sistema de recolha seletiva de embalagens na Herdade do Cabeço da Flauta, que posteriormente serão encaminhadas para tratamento e valorização.

O Festival contará também com uma ação de sensibilização de Boas Vindas aos Campistas, dedicadas a boas práticas de prevenção, reutilização e reciclagem de resíduos. A organização, ao colaborar na monitorização e avaliação de resultados quanto aos resíduos produzidos, estará a contribuir positivamente para o desvio de resíduos de aterro, ao implementar boas práticas ambientais.

Entre 17 e 20 de julho, as equipas da Amarsul irão receber os campistas, entregar um Kit de Boas Vindas, recolher embalagens de plástico usadas, sensibilizar e dar a conhecer a localização dos contentores permanentes do Festival, sob o lema: “Recicla, tudo, sempre e em todo o lado!”.

Sobre a Amarsul:
A Amarsul é responsável pelo tratamento e valorização dos resíduos urbanos dos 9 municípios da Península de Setúbal: Alcochete, Almada, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Seixal, Sesimbra e Setúbal. A Amarsul valoriza anualmente 459 mil toneladas de resíduos, servindo cerca de 800.000 habitantes. A Amarsul procede à valorização energética a partir da extração do biogás, produzindo 29GWh de energia elétrica, que é injetada na Rede Elétrica Nacional, suficiente para abastecer mais de 7.500 famílias.



• ORGANIZAÇÃO E PARCEIROS VÃO AGIR, SENSIBILIZAR E INCENTIVAR O PÚBLICO PARA AS BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS

Água Vitalis e organização unem-se à ONG Sciaena no projeto “Mar Motto”
A Sciaena é uma organização sem fins lucrativos, de âmbito nacional e internacional, criada em 2006, que tem como principais objetivos um ambiente marinho saudável e uma população informada e ativa na sua conservação.

A Sciaena acredita que gostar do mar tem que ser mais do que uma moda, uma fase, uma estação do ano… tem que ser um lema para todos! Foi assim que nasceu o conceito Mar Motto, que pretende usar a Arte como meio para transmitir esta mensagem de forma simples, incisiva, criativa e geradora de acção. E assim nasceu o conceito Mar Motto, com o qual a Sciaena lança um desafio aos artistas para deixarem a criatividade fluir e lançarem as mãos à obra para pôr os portugueses a pensar e a proteger o Mar.

É neste espírito que, em parceria com o coletivo de artistas local Maxuxa, a Sciaena vai levar o projeto Mar Motto ao 25º Super Bock Super Rock:

Primeiramente, contribuindo com a criação de recipientes criativos para o depósito das garrafas de plástico de água Vitalis que vai ser consumida durante o Festival e, posteriormente, vão ser utilizadas na construção de uma obra de arte.

Em parceria com a organização, estarão presentes no Super Bock Super Rock os Emissários dos Oceanos:
E se no meio do Festival uma gaivota ou uma sardinha ou um polvo vier falar connosco sobre as coisas magníficas do Mar onde vivem, as ameaças que pairam sobre ele, e sobre o que cada um de nós pode fazer para protegê-lo? Recorrendo à experiência da Maxuxa na elaboração de mascotes e ao conhecimento da Sciaena sobre os assuntos dos oceanos, é precisamente isso que irá acontecer neste Super Bock Super Rock em que personagens, visualmente apelativas, num registo informal, teatral, mas sempre factual e informativo, irão falar com os participantes do Festival sobre os nossos oceanos, e como todos podemos fazer a nossa parte para os proteger.



→ Super Bock introduz a primeira máquina de cerveja a energia solar nos Festivais de Música
Naming sponsor desde a primeira edição, a Super Bock continua a inovar na aplicação das boas práticas ambientais no Festival.

É da responsabilidade da Super Bock a instalação na área do camping de uma máquina de cerveja a energia solar, um projeto desenvolvido em parceria com a SunEffects, Energias Renováveis, Lda., que inclui um sistema de bebidas de pressão e permite a refrigeração de bebidas em latas, garrafas em PET ou em vidro.


→ Menos plástico… fantástico!
Os copos reutilizáveis sob a chancela da marca Super Bock estão de regresso, como não podia deixar de ser… mesmo os de edições anteriores! Com o objetivo de incentivar a reutilização, nomeadamente dos consumíveis de plástico, quem quiser pode levar os seus copos “amigos do ambiente” das edições anteriores do Super Bock Super Rock.

Milaneza e Bogani darão também o exemplo eliminando os consumíveis plásticos de uso único.


→ A LG e o artista plástico AKA Corleone unidos na consciencialização para a importância de reciclar os resíduos eletrónicos
A importância da reciclagem de REEE – Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos é um tema cada vez mais em foco devido aos milhões de toneladas de lixo eletrónico que se vêm acumulando por todo o mundo e cujo crescimento, na era digital que vivemos, continuará com um ritmo preocupante, se nada for feito a esse nível. Portugal não é excepção e foram definidas metas muito ambiciosas – já para 2019 – em que 65% do peso equivalente aos resíduos EEE colocados no mercado nos últimos 3 anos, deve ser reciclado. É com esta preocupação em mente que a LG tem vindo a desenvolver um conjunto de iniciativas nos últimos anos, no sentido de apoiar o aumento da quantidade dos REEE - Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos em Portugal.

Através da parceria com a ERP – European Recycling Platform, entidade gestora de resíduos eletrónicos, a LG vindo a criar ações de recolha directa de equipamentos, mas também de consciencialização, nas escolas, em conferências – a E-Waste Summit, cuja primeira edição foi este ano –, ou em campanhas promocionais, tirando partido da comunicação da marca para desafiar os consumidores a entregarem os seus REEE.

Foi no seguimento de uma iniciativa como esta, que o artista plástico AKA Corleone, a convite da LG e da ERP, recolheu algumas das peças dos equipamentos recolhidos para desenvolver uma peça, com o objectivo de consciencialização para a importância da reciclagem dos REEE. Esta peça que terá uma dimensão aproximada de 2x2m (cubo) estará exposta pela primeira vez no Festival Super Bock Super Rock, onde a LG tem marcado presença desde há vários anos.


→ EDP promove a mobilidade inteligente
A EDP quer promover a mobilidade inteligente e os Festivais de Música são o pretexto ideal, com o já anunciado Camping EDP Comercial, uma ação que irá proporcionar momentos de proximidade e partilha, sem esquecer as preocupações da marca com a sustentabilidade, aliada à aposta que a empresa tem vindo a fazer na mobilidade elétrica. A EDP irá levar dez pessoas ao Super Bock Super Rock em carros movidos a eletricidade, em cima dos quais será instalada uma tenda onde vão dormir durante todos os dias do evento.


→ Tabaqueira sensibiliza para que se descarte os filtros do tabaco em locais de recolha apropriados
Trazer soluções para a redução da nocividade dos produtos de tabaco é o maior contributo que uma empresa líder de tabaco pode dar para a sustentabilidade. É o que na Tabaqueira, uma subsidiária da Philip Morris International (PMI), se tem vindo a fazer desde 2016, transformando o negócio no sentido da substituição dos cigarros por alternativas sem combustão. O objetivo é convencer todos os fumadores, que, de outro modo, continuariam a fumar cigarros, a optar em alternativa por produtos sem combustão.

À medida que progride na construção de um futuro livre de fumo, constituem igualmente objetivos estratégicos a redução da pegada ambiental e a gestão sustentável dos recursos naturais limitados do planeta, o respeito pelas pessoas na sua cadeia de valor, bem assim como a obtenção da excelência operacional.

Das centenas de milhares de produtores de tabaco aos milhões de consumidores dos seus produtos, todos têm um impacto importante no meio ambiente. A Tabaqueira está empenhada na melhoria contínua de tudo aquilo que faz para alcançar os mais altos padrões de sustentabilidade ambiental, especialmente nas áreas da mudança climática, da gestão de recursos hídricos, da gestão de resíduos e da desflorestação.

A sustentabilidade é uma responsabilidade partilhada por todos. Por isso envolve nesta missão, neste paradigma que norteia tudo o que faz, os seus consumidores, os seus clientes, fornecedores, a comunidade envolvente e outros intervenientes.

A sua visão de criar um futuro livre de fumo através da ciência e da inovação anda de mãos dadas com o compromisso para um mundo ambientalmente mais sustentável.

O compromisso da Tabaqueira para com a sustentabilidade é transversal a toda a sua atividade e a educação ambiental tem sido uma preocupação sua, desenvolvendo uma série de iniciativas com ONGs, municípios e outros parceiros. Sensibilizando o público em geral e os utilizadores dos seus produtos, em particular do papel, e responsabilidade que todos temos através da partilha de boas práticas ambientais e de uma ação conjunta neste domínio, nomeadamente realçando a importância do papel que podem desempenhar na proteção do ambiente em geral, e dos oceanos em particular, ao descartarem os filtros em locais de recolha apropriados.

Com esse objetivo, para além das ações que tem vindo a desenvolver, a Tabaqueira levará uma campanha de sensibilização e educação ambiental ao Super Bock Super Rock, com transmissão de boas práticas ambientais e distribuição de cinzeiros de bolso reutilizáveis, o que propicia melhores condições para os consumidores procederem ao seu adequado descarte no lixo. Esta ação prosseguirá ao longo de 2019 a nível nacional.

Metro

O ponto de referência é a A3, saída Paredes de Coura. Sem enganos possíveis, basta seguir a EN303, directa para o Festival.
Em Paredes de Coura existem parques de estacionamento no centro da vila, a cerca de 900m do recinto do festival, onde é possivel deixar o carro por 5 dias com uma tarifa especial para portadores de passe geral.
Nos terrenos anexos ao festival também existem parques de estacionamento com tarifas reduzidas para 5 dias de estacionamento.

De:
Lisboa - 425 km - Ver itinerário ViaMichelin
Porto - 105 km - Ver itinerário ViaMichelin
Barcelona - 1195km - Ver itinerário ViaMichelin
Madrid - 620km - Ver itinerário ViaMichelin
Vigo - 62km - Ver itinerário ViaMichelin

Coordenadas:
41°55'4.82"N /// 8°34'12.48"W

MOBILIDADE CONDICIONADA

Todas as pessoas com mobilidade condicionada têm lugares específicos para assistir aos eventos realizados na Altice Arena. Nos restantes palcos haverá plataformas montadas para o efeito.

SUSTENTABILIDADE

A sustentabilidade tem tido um lugar especial nas preocupações do Super Bock Super Rock e este ano não é exceção. Uma novidade inovadora introduzida em 2016, foram os copos ecológicos reutilizáveis Super Bock, fruto da parceria com a multinacional francesa Ecocup, regressam em 2017. Será personalizada para o Super Bock Super Rock, uma edição de colecionador que contribuirá para a diminuição significativa destes resíduos no recinto e para as quantidades enviadas para reciclagem.
No momento de consumo da primeira cerveja será solicitado o valor simbólico de 2€, não se tratando de uma venda, mas sim de uma “caução” que poderá ser recuperada no próprio evento, caso o consumidor queira devolver o copo “amigo do ambiente”.
Ao longo das várias horas de música, a cerveja é sempre servida num copo reutilizável novo, devendo o consumidor preservar e entregar o copo utilizado nos bares e quiosques existentes no recinto, sendo que quem quiser os poderá guardar para a posteridade. Vão estar disponíveis nos dois formatos habituais (25 cl e 50 cl).

CONTROLO DE IDADE / Lei do Álcool

De acordo com a Lei do Álcool que proíbe a sua venda a menores de 18 anos, todos os que queiram consumir bebidas alcoólicas deverão colocar uma pulseira específica para o efeito, mediante apresentação de identificação comprovativa da idade.


A colocação da pulseira não é obrigatória, mas será solicitada a identificação sempre que alguém aparentar ter menos que 18 anos de idade.

Ao continuar a navegar está a concordar com a utilização de cookies neste site. Para não autorizar a sua utilização, por favor utilize as opções do seu browser e altere as definições de cookies. Para mais informações, consulte a nossa Política de Privacidade e a nossa Política de Cookies.

Concordo