sbsr
Pierre Kwenders
Palco Somersby

00

--

A 18, 19 e 20 de julho, o Super Bock Super Rock regressa ao cenário idílico junto à praia do Meco, o novo, mas já familiar ponto de encontro para milhares de amantes de Música..

Image

José Louis Modabi é Pierre Kwenders para o mundo da música, uma autêntica pérola capaz de juntar rumba congolesa, R&B, pop, rock, gospel e muitos outros géneros, oferecendo um som difícil de definir, um grito que parece chegar das profundezas do mundo. Saiu do Congo para Montreal, Canadá, quando tinha 16 anos. E assim que chegou a Quebec emprestou o seu
talento a um coro católico, experiência que viria a acrescentar camadas de profundidade à sua música e à sua própria personalidade. Nunca desdenhou nenhuma influência e desde o início que olha para a arte que quer fazer como uma ponte para unir África ao resto do mundo.

Para conseguir esse seu objetivo, Pierre Kwenders tem sido uma esponja capaz de absorver várias sonoridades, desde os estilos mais marcadamente ocidentais até à rumba congolesa, principalmente da década 40 do século passado. Depois dos EPs “Whiskey & Tea” e “African Dream”, Pierre Kwenders editou o primeiro disco em 2014. “Le Dernier empereur bantou” foi bem recebido pelo público e pela crítica, o que lhe permitiu sedimentar a sua fama no Canadá e também crescer internacionalmente. O caminho continua com o novo disco, “MAKANDA at The End of Space, the Beginning of Time”, editado em 2017. O tema “Sexus, Plexus, Nexus”, uma homenagem ao escritor Henry Miller, está carregado de sensualidade e mostra o melhor de Pierre Kwenders, um artista que tem o condão de aquecer qualquer ambiente com um afro-indie irresistível. E é precisamente isso que se espera para o dia 20 de julho, no Palco Sommersby do Super Bock Super Rock.

Image